É ano de El Niño, fique ligado na previsão de ondas Mormaii

A temperatura das águas do Oceano Pacífico equatorial está mais elevada que o normal em todos os setores, especialmente nas áreas mais próximas da costa da América do Sul. 

O atual padrão de temperatura do Pacífico e as consequências na atmosfera indicam a presença de um fenômeno El Niño clássico, padrão que deverá prosseguir durante o inverno do hemisfério sul. 

Características atmosféricas e oceânicas em todo mundo refletem um El Niño contínuo e se fortalecendo.

Quase todos os modelos prevêem que o El Niño continue no verão do hemisfério sul em 2016, com muitas médias apontando um evento forte na sua força de pico, ou superior por 3 meses. 

Neste momento, o consenso dos meteorologistas é a favor de um significativo El Niño. 

No geral, há uma chance maior que 90% que o El Niño vá continuar até o verão do hemisfério sul em 2016, e em torno de 80% de chance que vá durar até o outono de 2016.

No Brasil a variação no volume de chuvas depende de cada região e da intensidade do fenômeno. A temperatura aumenta na maioria das regiões.

Região Norte e Nordeste: Diminuição de chuvas, causando secas no Sertão Nordestino e incêndios florestais na Amazônia; 

Região Sudeste: Aumento da temperatura média. 

Região Sul: Aumento da temperatura média e da precipitação, principalmente na primavera e no período entre Maio e Julho.

Região Centro-Oeste: A chuva da primavera torna-se irregular.

Para os surfistas, a notícia é ótima, afinal, algumas das melhores temporadas de ondas do planeta aconteceram sob influência do fenômeno, o que anima os competidores do Desafio Mormaii de Ondas Grandes na Remada, cujo período de espera está aberto até 31 de outubro, no farol de Santa Marta, sul de Santa Catarina.

Resta torcer para que as ondas entrem, mas os estragos naturais mantenha-se afastados.

Para saber mais sobre o surf na sua região e como estão as condições no seu pico favorito, acesse o campo Previsão de Ondas, aqui no site da Mormaii.

[Foto: james Thisted // Surfista: Carlos Burle em Waimea Bay, Hawaii // Fonte NOAA]